Posts Tagged ‘ciclos’

FORUMDOC.MG em Cambuquira

junho 27, 2011

Nesta semana a programação do Benedita Cineclube é especial.  Em parceria com a MOSCA – Mostra Audiovisual de Cambuquira, receberemos o FORUMDOC.MG em Cambuquira, pelo segundo ano consecutivo.

A programação começa nesta quinta, 30/6 e termina no sábado, 2/7.

A curadoria realizada por Milene Migliano é composta por filmes que participaram das Mostras Competitivas nacional e internacional do FORUMDOC.BH.2010.  Ela está presente para assistir os filmes e bater papo com o público.

Confira os filmes e horários e até breve!

siga @cinebenedita e @mostramosca no twitter

PROGRAMAÇÃO

30/06 – quinta-feira

A FALTA QUE ME FAZ |  Direção Marília Rocha | Brasil | 2009 | cor | 85’

Duas sessões: 10h30 e 15h30 | qui, dia 30

Durante um inverno, um grupo de meninas vive o fim da juventude. Um romantismo impossível deixa marcas em seus corpos e na paisagem a seu redor.

KURDISHLOVER |  Direção Clarisse Hahn | França | 2010 | cor | 95’

19h00 | qui, dia 30

Um xamã entra em transe diante da televisão, um ermitão com fome de sexo sonha em se casar, uma ovelha é sacrificada e comida, uma velha mulher impede sua nora de aprender a ler, uma pastora de ovelhas mora no alto da montanha e gostaria de descer de volta, o exército toma conta do vilarejo, um homem que veio da Europa abandona um relacionamento para pedir a mão de uma jovem que mora com a mãe em casamento. Através de relações que envolvem controle, dinheiro, rivalidade e amor, cada um procura seu lugar entre os outros.

01/07 – sexta-feira

AVENIDA BRASÍLIA FORMOSA | Direção Gabriel Mascaro | Brasil | 2009 | cor | 85’

Duas sessões: 10h30 e 15h30 | sex, dia 1º

Fábio é garçom e cinegrafista. Registra importantes eventos no bairro de Brasília Teimosa (Recife). No seu acervo, raras imagens da visita do presidente Lula às palafitas. Fábio é contratado pela manicure Débora para fazer um videobook e tentar uma vaga no Big Brother. Também filma o aniversário de 5 anos de Cauan, fã do Homem Aranha. Já o pescador Pirambu mora num conjunto residencial construído pelo governo para abrigar a população que morava nas antigas palafitas do bairro, que deu lugar à construção da Avenida Brasília Formosa. O filme constrói um rico painel sensorial sobre a arquitetura e faz da Avenida uma via de encontros e desejos.

ZANZIBAR MUSIC CLUB | Direção Philippe Gasnier e Patrice Nezan | França | 2009 | cor | 85’

19h00 | sex, dia 1º

Ao pôr do sol, nas ruas da antiga cidade, os clubes musicais de Zanzibar murmuram os alegres sons do Taarab. Veículo de identidade cultural e tradição viva, a performance do Taarab é intrinsecamente ligada tanto à vida religiosa quanto cotidiana da ilha. Representado por artistas como a parteira e curandeira Bi Kidude, uma das mais reverenciadas cantoras de Taarab de todo o Zanzibar, este documentário revela a ternura e a diversidade dos poetas Taarab, guardiões culturais de uma herança musical dinâmica, que deve se afirmar diante do turismo e das trocas econômicas.

02/07 – sábado

KENE YUXI, ÀS VOLTAS DO KENE | Direção Zezinho Yube | Brasil | 2010 | cor | 48’

16h00 | sáb, dia 2

Ao tentar reverter o abandono das tradições do seu povo e seguindo as pesquisas do seu pai, o professor e escritor Joaquim Maná, Zezinho Yube corre atrás dos conhecimentos dos grafismos tradicionais das mulheres Huni Kui auxiliado por sua mãe.

BLACK NATCHEZ + PANOLA

18h00 | sáb, dia 2

Black Natchez | Direção Ed Pincus e David Neuman | EUA| 1965 | p&b | 60′

Relato da tentativa de organizar uma comunidade negra no extremo sul dos Estados Unidos em 1965, durante o dia de comemoração do Movimento dos Direitos Civis. Um líder negro havia sofrido um atentado a bomba e uma luta surge na comunidade negra. Um grupo de negros escreve um capítulo do Deacons for Defense – organização secreta e armada. A comunidade se divide entre membros mais conservadores e ativistas.

PANOLA | Direção Ed Pincus e David Neuman | EUA| 1965 | p&b | 20′

A história de um homem pobre, negro, pai de oito filhos em Natchez, Mississipi, durante a ascensão do Movimento dos Direitos Civis. Panola caminha no limite incerto entre a comédia e a tragédia. Dividido pelo conflito entre uma consciência sensível e acurada da injustiça social e um sistema que incutiu nele a subserviência aos brancos, ele oscila entre o desejo de respeito, a impotência, a vingança, a soberba e o alcoolismo.

forumdoc.mg – Cambuquira
Entrada Franca

O Espaço Cultural Sinhá Prado fica na Av. Virgílio de Melo Franco, 481 – Centro
(35)3251-3534 |  espacoculturalsinhaprado@gmail.com
Realização Associação Filmes de Quintal
(31) 3889-1997 | http://www.forumdoc.org.br | filmes@filmesdequintal.org.br

o forumdoc.mg

Em sua quarta edição, o forumdoc.mg leva parte de sua programação a nove cidades de Minas Gerais: Araçuaí, Cambuquira, Contagem, Lagoa Santa, Montes Claros, Pouso Alegre, Uberlândia, Ouro Preto e Teófilo Otoni. Contendo temáticas diversas, os filmes selecionados abordam questões políticas e sociais, ao versar sobre comunidades tradicionais e urbanas, na tentativa de construir junto ao público um amplo diálogo sobre as potências do audiovisual.

O forumdoc.mg tem como objetivo ampliar e democratizar o acesso a uma programação de cinema diferenciada no estado de Minas Gerais, através da exibição de filmes já exibidos no forumdoc.bh (festival de cinema que acontece anualmente em Belo Horizonte desde 1997) e/ou que fazem parte do acervo da Associação Filmes de Quintal, associação sem fins lucrativos responsável pela realização do projeto.

O evento, que se encontra em sua quarta edição, conta com o patrocínio da CEMIG/Governo de Minas e da Secretaria de Audiovisual do Ministério da Cultura/Governo Federal, via Lei de Incentivo à Cultura e Fundo Nacional de Cultura. Além disso, conta com a parceria de instituições locais (UFU/Luminoso Cinema Livre – Uberlândia, Cineclube Luz da Lua/CEFET – Campus Araçuaí, UNIMONTES, FAOP, Prefeitura Municipal de Contagem, UNIVÁS, ICETAS/CDLTO/Estação Doce Maria/Conservatório de Música de TO/ Associação Histórico Cultural Mucury, Irmandade dos Atores da Pândega, Benedita Cineclube).

Em Cambuquira, o forumdoc.mg acontece de 30 de junho a 02 de julho de 2011, no Espaço Cultural Sinhá Prado que fica à Av. Virgílio de Melo Franco, 481 – Centro. A curadoria realizada por Milene Migliano é composta por filmes que participaram das Mostras Competitivas nacional e internacional do forumdoc.bh.2010.  Milene Migliano é Mestre pelo Programa de Pós Graduação em Comunicação e Sociabilidade Contemporânea da Universidade Federal de Minas Gerais. Atua como produtora e pesquisadora no setor audiovisual, tendo desenvolvido pesquisas sobre culturas urbanas, atuando junto aos Pontos de Cultura e Programa Cultura Viva do governo federal.  É membro da Associação Filmes de Quintal, onde atua como professora das oficinas de produção audiovisual do Ponto de Cultura e na realização do forumdoc.bh, desde 2003. Atuou, em 2010, como assistente de coordenação de projetos no Vídeo nas Aldeias e no desenvolvimento de metodologias de percepção dos espaços urbanos e letramento digital no Pontão de Cultura da UFMG, de 2004 a 2009.

Sobre o forumdoc.bh

O forumdoc.bh é um festival de cinema e vídeo dedicado ao documentário e a filmes que não têm espaço no circuito de exibição comercial. O evento acontece em Belo Horizonte desde 1997, com quatorze edições consecutivas. Em sua programação, o forumdoc.bh apresenta um panorama de produções audiovisuais diversificado, disponibilizando ao público filmes de vários países, produções contemporâneas e filmes clássicos. Realiza, ainda, as mostras competitivas nacional e internacional com o objetivo de mapear, difundir e premiar a produção documentária recente.

Promovendo mesas redondas, sessões fílmicas comentadas, oficinas, lançamentos de publicações como catálogos, revistas, livros e cd-roms especializados, o forumdoc.bh tem possibilitado o intercâmbio de experiências, visando o fomento à pesquisa, experimentação e qualificação da produção.

Todas as atividades que compõem a programação têm caráter público e gratuito, o que garante o acesso e divulgação de bens culturais.

Realização Associação Filmes de Quintal

Participação em Cambuquira Benedita Cineclube e MOSCA – Mostra Audioviual de Cambuquira

Anúncios

Junho no Cineclube: De Carmem à Chanchada

maio 31, 2011

Serviço:

O Benedita Cineclube acontece no Espaço Cultural Sinhá Prado – Av. Virgílio de Melo Franco, 481 – Cambuquira-MG.

toda quinta-feira às 19h

Entrada franca!

O Samba no Cinema: Ficção

fevereiro 1, 2011

Na quinta, 3/2 às 19h será exibido o terceiro programa do ciclo de música brasileira “O Samba no Cinema: Ficção”. O programa faz parte da Programadora Brasil e conta com os curtas:

Com que Roupa? de Ricardo van Steen , RJ, 1996

Do Dia em que Macunaíma e Gilberto Freyre Visitaram… , de Sérgio Zeigler e Vitor Angelo , SP, 1998

Operação Morengueira , deChico Serra , RJ, 2005

Polêmica, de André Luiz Sampaio , RJ, 1999

Zezé Mota em "Polêmica"

É natural pensar que samba e cinema brasileiro combinam. Estes quatro curtas retratam personagens reais da história do samba, de forma ficcional. Começamos pelo pretenso momento em que Donga cria “Pelo Telefone”, considerado o primeiro samba de todos os tempos; passamos por dois sambistas da mais alta grandeza, Moreira da Silva e Noel Rosa; para acabar na famosa rixa do último com Wilson Batista. Câmera na mão e samba no pé.

Cena de "Operação Morangueira"

SONORIDADES INOVADORAS: Hermeto e Tom Zé

janeiro 24, 2011

O ciclo de programas sobre música brasileira no Benedita Cineclube tem sua segunda sessão na próxima quinta, 27/1 às 19h com os mestres Hermeto Paschoal e Tom Zé.

Programa histórico-musical que reúne documentários sobre dois músicos que nasceram em 1936 e que têm em comum a integração de sonoridades de objetos não-convencionais em suas criações. No Rio de Janeiro, o alagoano Hermeto Paschoal em seu processo de criação cuidadosamente registrado no início dos anos 1980 pelo veterano documentarista Thomaz Farkas. Em São Paulo, na virada do século, em documento bastante rigoroso – mais do que urgente – da jovem diretora Carla Gallo, o baiano Tom Zé expõe suas idéias, obsessões, fraquezas e grandezas. (Fonte: Programadora Brasil)

A sessão começa com Hermeto campeão, de Thomaz Farkas SP, 1981, Documentário, Colorido, 35 min.

Hermeto Pascoal é incontestavelmente um dos maiores músicos brasileiros. O filme evoca a inspiração, a maneira de compor e os pontos de vista de Hermeto Pascoal sobre a fama, o dinheiro e o trabalho. Hermeto Pascoal toca com os sapos e compõe com as abelhas. Os componentes do conjunto fazem um pequeno depoimento sobre o que é trabalhar com Hermeto Pascoal.

Ficha Técnica

Direção: Thomaz Farkas
Roteiro: Thomaz Farkas
Produção Executiva: Thomaz Farkas
Direção Fotografia: Pedro Farkas
Fotografia de Cena: Não
Montagem/Edição: Junior Carone
Técnico de Som Direto: David Pennington
Sound Designer: Junior Carone

Tom Zé, ou quem irá colocar uma dinamite na cabeça do século? de Carla Gallo SP, 2000, Documentário, Colorido, 48 min.

Retrato estético do cantor e compositor Tom Zé

Ficha Técnica

Direção: Carla Gallo
Elenco: Depoimentos: Tom Zé, Hans-Joachim Koellreutter
Produção Executiva: Carla Gallo
Direção de Produção: Carla Gallo – Produção: Celso Camargo, Priscilla Migliano, Carla Gallo
Direção Fotografia: Jay Yamashita
Operador de Câmera: Jay Yamashita, Luiz Duva, Sergio Zeigler, André Finotti, André Francioli, Christian Shagaard
Montagem/Edição: Tatiana Lohmann
Direção de Arte: Eduardo Climachauska
Técnico de Som Direto: Gabriela Cunha e Bruno Carneiro

Crítica

Dois inventores, por Cléber Eduardo*

Em um dado momento de Hermeto Campeão (1981), de Thomas Farkas, a tela escurece por muitos segundos. Ficamos a ouvir o coral dos sapos e as intervenções sonoras de Hermeto Paschoal. Em um dado momento de Tom Zé ou Quem irá Colocar uma Dinamite na Cabeça do Século? (2000), de Carla Gallo, a tela escurece, com pequenas aparições de linhas gráficas brancas de tempos em tempos, depois das quais voltamos à escuridão. Ficamos a ouvir “Toc”, do álbum Estudando o Samba, do começo dos anos 1970, também sem uma imagem a nos conduzir.

Nesses dois médias-metragens realizados com quase 20 anos de diferença, resultados da decisão de seus diretores de apontar a câmera e o microfone para inventores inquietos da música brasileira (Hermeto Paschoal e Tom Zé), é notável a proximidade entre os procedimentos nesses momentos mencionados. Em ambos, a imagem se retira e deixa o som ficar a sós. Farkas e Carla procuram integrar-se com a linguagem e com a lógica sonoro-musical de seus “personagens” em vez de imporem a eles uma estética planejada a priori.

Hermeto o Campeão é Hermeto Paschoal em ação. Ou seja, ensaiando, gravando, tocando, experimentando sons, ruminando frases. O som de sua voz nunca está em sua boca. Enquanto instrui instrumentistas ou reflete sobre dinheiro e arte, vemos outras imagens, sejam fotos de conhecidos, sejam imagens de sua casa, família, ensaios. O ensaio é a situação mais recorrente. São os momentos em que a câmera detém-se na experiência, circula em torno do músico, procura detectar o instante da criação.

Essa atenção para o que a câmera está olhando, para especialmente o músico em sua invenção, é reivindicada pela experimentação musical. Hermeto é um agente da surpresa e da aventura criativa. Onde deverá estar a câmera em um momento de invenção musical? Essa dúvida é incorporada pela própria operação da câmera, que, eventualmente, não parece saber para onde se dirigir e com qual mobilidade se locomover. Uma câmera em sincera dúvida sobre a melhor maneira de captar Hermeto.
Se Hermeto é menos carisma verbal e mais uma imagem em cena, Tom Zé ou Quem irá Colocar uma Dinamite na Cabeça do Século? lida com o contrário. Tom Zé é falante, tem uma performance oral e corporal, além de, ao contrário de Hermeto, possuir capacidade de auto-análise. Esse show da fala de Tom Zé, com virtuosismos de fabulador ao narrar as histórias de sua infância, revela um núcleo “olho no olho”, com trechos captados no estúdio pautando a dinâmica visual (entrevistas, improvisos musicais, performances). A mobilidade desse núcleo “interno e interativo”, centrado nas retórica e no carisma de Tom Zé, é perseguida pelas mudanças de ângulo e de distância da câmera.

Se Hermeto é a invenção pela qual a câmera está à espera, não sem ansiedade, porque aguarda o futuro imediato daquele momento (o estar por vir), Tom Zé carrega em sua ansiedade todo o rastro de um passado, com o qual está sempre a acertar contas. Procura-se uma perspectiva retroativa, de quem viveu um processo e tenta tirar alguma lição daquilo, com passado e presente conectados por imagens de arquivo, por sua vez em diálogo com imagens contemporâneas. Hermeto é mostrado por Farkas. Tom Zé é codificado, decodificado e ritualizado por Carla Gallo.

serviço: O Benedita Cineclube acontece no Espaço Cultural Sinhá Prado – Av. Virgílio de Melo Franco, 481 – Cambuquira-MG. SONORIDADES INOVADORAS: Hermeto e Tom Zé – qui 27/01, 19h

Classificação Livre

Duração: 78 min

Entrada gratuita!

Programação de abril – Música e Contexto

março 27, 2010